Compartilhe:
Banner Blog Ata do Copom e indicadores da China são destaques da semana (10-14/08)

Ata do Copom e indicadores da China são destaques da semana (10-14/08)

Em meio ao avanço nas discussões da Reforma Tributária, teremos a ata da última reunião do Copom em destaque no Brasil. No exterior, mercado tem uma expectativa positiva em torno do resultado do varejo e da indústria na China.

Ata do Copom e indicadores da China são destaques da semana (10-14/08)

Em meio ao avanço nas discussões da Reforma Tributária, teremos a ata da última reunião do Copom em destaque no Brasil. No exterior, mercado tem uma expectativa positiva em torno do resultado do varejo e da indústria na China.

A segunda semana de agosto segue em ritmo acelerado. Temos indicadores importantes no Brasil e no mundo, balanços corporativos continuam, e a agenda política tem temas relevantes.

No Brasil, a semana tem logo a divulgação da ata do Copom (terça-feira), que ganha mais importância após o Banco Central gastar boa parte de seu comunicado falando de 2021. Isso já trouxe algum reflexo no Focus, com investidores modificando para baixo suas expectativas de Selic nos próximos anos. Caso a ata venha ainda mais forte nesse tema, certamente investidores irão recalibrar suas projeções, apostando em um patamar baixo por mais tempo.

Outro tema interno que ganha holofote são os indicadores de junho, vendas no varejo de junho (quarta-feira), pesquisa de serviços de junho (quinta-feira) e IBC-Br (sexta-feira) tendem a mostrar uma economia em retomada. Por outro lado, também teremos dados piores do mercado de trabalho com a Pnad contínua do 2º trimestre (sexta-feira)
Ainda estamos na temporada de balanços do segundo trimestre, destaque para os da Eletrobras (quarta-feira), B2W e Lojas Americanas (quinta-feira) e Cemig (sexta-feira).
Olhando agora para fora da fronteira, teremos indicadores da China - índice de preços ao consumidor (segunda-feira), produção industrial, vendas do varejo e investimentos em ativos fixos (quinta-feira). Por enquanto o país tem reportado uma retomada em aceleração, dando animo para investidores colocarem mais ativos de risco em suas carteiras. Vale acompanhar.

Nos EUA, saem inflação ao consumidor de julho (quarta-feira), pedidos de auxílio-desemprego (quinta-feira) e produção industrial de julho (sexta-feira). Na Europa, são esperados o PIB do Reino Unido no 2º trimestre e produção industrial da zona do euro (quarta-feira) e PIB da zona do euro do 2º trimestre (sexta-feira). Lembrando que essas já são segundas leituras dos PIB’s, o que diminui um pouco seu impacto.

 Dando um pequeno passo atrás, e finalizando, aqui no Brasil teremos na quarta-feira, a comissão mista da reforma tributária com representantes dos secretários estaduais de Fazenda. O grupo já se manifestou favoravelmente à PEC 45, mas quer um fundo da União para compensar perdas -- ao que Paulo Guedes resiste. A parte política internacional tem foco no embate americano por novos estímulos.





Armazenamos cookies em seu dispositivo para proporcionar uma melhor experiência. Ao utilizar esse site, você concorda com nossa política de privacidade