Compartilhe:
Banner Blog Inflação e banqueiros centrais no radar da semana 11-15/01

Inflação e banqueiros centrais no radar da semana 11-15/01

A semana conta com menos indicadores no quadro internacional, mas com diversas participações de banqueiros centrais em eventos.

Inflação e banqueiros centrais no radar da semana 11-15/01


A semana conta com menos indicadores no quadro internacional, mas com diversas participações de banqueiros centrais em eventos.


No Brasil, teremos uma semana recheada de indicadores. Iniciando pelo IPCA de dezembro na terça-feira. Importante observar o quanto do reajuste de energia já foi transmitido no resultado. Teremos também o IBGE apresentando a pesquisa mensal de serviços de novembro na quarta-feira. O mês apresentava um arrefecimento da pandemia, e uma reabertura da atividade. Logo investidores aguardam números mais fortes desse resultado. O mesmo se aplica no resultado da pesquisa mensal de comércio, que sai na sexta-feira.

Saindo da esfera econômica, muito importante observar a avaliação da Anvisa sobre os perdidos de aplicação emergencial das vacinas. A expectativa é que sejam liberadas. Além da reunião dos governadores com o Ministério da Saúde, terça-feira, na qual é aguardado uma definição de cronograma da vacinação por região.


No exterior, Christine Lagarde, presidente do BCE, participa de evento na terça, enquanto dirigentes do Fed estão falando durante toda a semana. O último destaque fica para o presidente do Fed, Jerome Powell, em evento na quinta-feira. Todos devem reforçar seu apoio monetário para o momento de piora na pandemia. Além de sinalizarem que os estímulos não devem ser retirados tão cedo.

No quadro político, existe um movimento na Câmara dos Deputados dos Estados Unidos para realizar um impeachment do presidente Donald Trump. Porém, o Senado americano não concorda com o movimento que deve ficar pelo caminho. De qualquer maneira, a expectativa em torno da posse de Joe Biden fica cada vez maior, com o movimento de apoiadores de Trump prometendo atos de protesto no próximo dia 20.

Embora não seja agenda, vale um último destaque. O Boletim Focus trouxe uma elevação na expectativa da Selic, que encerraria o ano em 3,25%, não mais 3% como previsto anteriormente.

Armazenamos cookies em seu dispositivo para proporcionar uma melhor experiência. Ao utilizar esse site, você concorda com nossa política de privacidade